Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Porto Alegre, 18 de Setembro de 2019. Aumenta a Fonte [ A + ]   [ A - ]  
 
05/03/2015

TRABALHO MÉDICO

Desafios da atividade médica na América do Sul, Central e Caribe em debate no Encontro dos Conselhos de Medicina


Os desafios do exercício da medicina na América do Sul, Central e Caribe foram discutidos nesta quinta-feira, dia 5, no segundo dia do I Encontro Nacional dos Conselhos de Medicina do ano de 2015, que acontece em Belo Horizonte (MG). O tema prendeu a atenção dos cerca de 150 participantes do evento, que lotaram o auditório do Conselho Regional de Medicina do Estado de Minas Gerais (CRM-MG), o anfitrião do I ENCM.


A mesa - coordenada pelos conselheiros Emmanuel Fortes da Silveira Cavalcanti (3º Vice-Presidente do CFM) e Cláudio Balduíno Souto Franzen (conselheiro federal pelo RS) – contou com a colaboração de expositores do Brasil, Costa Rica, Venezuela e Bolívia, todos eles vinculados à Confederação Médica Latinoamericana e do Caribe, que congrega entidades profissionais de 19 países do continente.

Ao introduzir o tema, o conselheiro Jeancarlo Fernandes Cavalcante (representante do Rio Grande do Norte no CFM) detalhou as diferentes características da região. “A realidade do atendimento médico e os problemas de investimento na saúde são continentais. Os governos não estão suprindo o setor saúde e culpabilizando os profissionais”, concluiu.

Triste realidade -Segundo apontou o médico boliviano, Aníbal Cruz, vice-presidente Institucional da Médica Latinoamericana e do Caribe (Confemel), os territórios da América do Sul, Central e Caribe somam uma população de 500 milhões de habitantes. Destes, 27% (135 milhões) carecem de acesso permanente a serviços básicos de saúde, sendo que 46% (230 milhões) são usuários exclusivos do serviço público.

Os problemas em termos de infraestrutura e serviços são grandes e isonômicos. No continente, 152 milhões de pessoas não têm acesso a água potável e saneamento básico e 82 milhões de crianças não possuem esquemas completos de vacinação.

Segundo ele, os médicos estão sendo penalizados, como forma, inclusive, de desviar a atenção das sociedades dos equívocos da gestão dos diferentes governos nacionais. “É incrível o problema que estamos vivendo na América Latina. Em todos os países observamos recursos baixos e mal distribuídos. Na Bolívia a realidade é caótica. Os líderes não conseguem mudar os números do setor e culpam o médico. Nós não somos de esquerda ou direta, mas trabalhadores que defendem a vida”.

O clima de inquietação se estende à Venezuela, conforme relatou o Douglas Leon Natera, vice-presidente de Assuntos Profissionais da Confemel e representante dos profissionais daquele País. "Também temos problemas onde os gestores criminalizam a prática da Medicina, o que é inaceitável. Rejeitamos categoricamente este tipo de interferência do governo no exercício da profissão”, ressaltou, ao descrever a grave situação em que se encontra a Saúde na Nação vizinha, com repercussão em indicadores epidemiológicos e no acesso à assistência.


Critérios de validação - Outro problema abordado durante as exposições foi o desrespeito a critérios técnicos sólidos para a convalidação de diplomas estrangeiros. O convidado Carlos Janez, presidente da Confemel, apresentou pontos existentes em acordos em vigor no âmbito do Mercosul, que abrem espaço para a migração dos médicos entre as fronteiras. Para tanto, evocou a existência de regras que prevêm a harmonização de legislações nacionais em termos de regulamentação da saúde e do controle sanitário, entre outros.


Ele assegurou que a Confemel em defesa da Declaração do Panamá, assinada em 2011, na qual defende o respeito às legislações locais para garantir a qualidade do exercício profissional do médico, especialmente em seus aspectos técnicos e éticos. “Rechaçamos a migração de médicos dirigida por alguns governos, a margem dos requisitos exigidos para a prática médica em cada um dos países, assim como a formação dos médicos em instituições não qualificadas”, lembrou. O mesmo tom foi reproduzido na Carta de Florianópolis, assinada pelos membros da Foro Interamericano de Entidades Médicas, em março de 2012.


Finalmente, o vice-presidente da Região Centro América e do Caribe da Confemel e representante da Costa Rica, Alexis Castillo Gutierrez, fez proposta de fazer face aos desafios de forma organizada. Para tanto, propõe uma maior integração entre as entidades medidas do continente; o monitoramento das realidades nos Países com os respectivos alertas para situações de crise; estimular o engajamento político da categoria e de suas representações; e manter o compromisso das instituições na luta em prol do bom exercício da Medicina, da formação dos profissionais com qualidade e manutenção dos critérios legais de convalidação dos diplomas obtidos no exterior.


“A compreensão do exercício da medicina se baseia em princípios dos quais emergem nossos deveres. Entre eles, estão o dever de promover o bem e de atuar da melhor forma em favor do paciente e da saúde da sociedade. Ao redor do entorno do exercício da medicina na atualidade, muitos indivíduos e grupos ocupam espaços na tomada de decisões e são afetados por elas. A tensão e competência entre os interesses dos médicos, pacientes e instituições inevitavelmente refletem na relação médico-paciente. Assim, cabe ao médico agir num espaço cada vez mais complexo”, concluiu.

Institucional Câmaras Técnicas Comissões de Ética Conheça o CREMERS Contas Públicas Delegacias Diretoria Palavra do Presidente Vídeo Institucional História Cremers

Serviços Área do Médico Busca Empresas Busca Médicos Ativos CBHPM Concurso Emissão de Boleto Empregos Eventos Inscrição de Empresas Licitações Pareceres e Resoluções Perguntas Freqüentes Pessoa Jurídica Propaganda Médica Registro de Especialidade Médica

 

 

Imprensa Artigos Assessoria Informativo Cremers Notícias Twitter

Publicações Apresentações para Download Biblioteca Código PEP Regimento Interno dos Corpos Clínicos

 

Contato Fale com o CREMERS Fale com o Presidente Ouvidoria

 

 

 

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul - Copyright 2019 ©
Av. Princesa Isabel, 921 - Bairro Santana
Porto Alegre - RS - CEP: 90620-001
Telefone: (51) 3300-5400 e 3219-7544
Fax: (51) 3217-1968
E-mail: cremers@cremers.org.br
Horário de Atendimento:
De segunda-feira a sexta-feira
Das 08h40min às 18h00min