Rede dos Conselhos de Medicina
Selecione o Conselho que deseja acessar:
Porto Alegre, 18 de Setembro de 2019. Aumenta a Fonte [ A + ]   [ A - ]  
 
18/05/2012

Crise prisional

OAB/RS, Cremers e Crea/RS visitam penitenciárias no Interior


OAB/RS, juntamente com Cremers, Crea/RS e Ajuris vistoriaram nesta quinta-feira (17), as penitenciárias moduladas de Charqueadas, a Penitenciária Estadual do Jacuí (PEJ) e o canteiro de obras da futura Penitenciária Estadual de Arroio dos Ratos.

Após a vistoria, o presidente da Ordem gaúcha, Claudio Lamachia, afirmou estar convicto de que o alto índice de criminalidade no RS – e de reincidência entre os egressos do sistema prisional – deve-se, principalmente, pelo ambiente degradado, promíscuo e desumano a que estão submetidos os apenados. "Há anos o Estado vem tratando o sistema prisional tão somente como um depósito de pessoas, sem que haja uma gestão eficiente ou implemento de recursos suficientes para ir além da mera punição. É preciso criar políticas públicas eficientes e permanentes de ressocialização", afirmou Lamachia.

O dirigente prosseguiu: "A sociedade precisa abrir os olhos rápido e compreender que a criminalidade não avança à toa. Estamos enviando para estas ‘escolas do crime’ presos de menor poder ofensivo e transformando-os em pós graduados no que há de pior na nossa sociedade".

Modulada de Charqueadas

O esqueleto do que deveria ser um hospital destinado a atender o complexo prisional de Charqueadas está abandonado desde 1998. A grande área que mantém as ruínas de um princípio de obra, hoje é utilizado como um depósito de lixo. A antiga casa prisional, cujo maior problema é a superlotação, é reconhecida como um bom projeto, no entanto, há grandes espaços vazios desde sua inauguração, como por exemplo, a lavanderia, que ocupa uma grande área sem jamais ter funcionado.

O atendimento médico destinado aos apenados também é insuficiente, segundo o vice-presidente do Cremers, Fernando Weber Matos, que participou das visitas.

A nova carceragem

Se a construção antiga é tida como um bom exemplo, a análise preliminar realizada pelos profissionais do Crea/RS apontam problemas no prédio, o qual deverá ser concluído nos próximos meses. A construção já apresenta inúmeras rachaduras e limitações para sua destinação. O espaço, projetado para acolher cerca de 500 presos, possui celas sem energia elétrica e com pouca iluminação.

Os responsáveis pela segurança também demonstram apreensão com os corredores estreitos – deixando a guarda em situação vulnerável. "Há um grave risco à integridade dos guardas, caso precisem percorrer a extensão da carceragem para atender ou evitar alguma emergência no pátio", exemplificou o juiz da VEC, Sidnei Brzuska.

Penitenciária Estadual de Jacuí

"Uma versão reduzida do Presídio Central", assim Lamachia definiu a PEJ. O espaço que foi inaugurado em 1916 como Colônia de Alienados do Jacuí, e que desde 1930 é destinado a abrigar condenados pela Justiça. "Estes prédios foram sendo ‘adequados’ ao longo dos anos, mas na prática servem apenas como depósito de pessoas. Um ambiente degradado e sujo, incapaz de recuperar quem quer que seja", definiu Breier.
No pátio, as semelhanças com o Presídio Central são evidentes. O esgoto escorre pelas paredes da galeria superior, espalhando-se pela área do banho de sol. O mesmo esgoto desce pelas paredes internas, deixando o ar ainda mais "pesado". O ambiente é inóspito para todos. Advogados, policiais, parentes, médicos e assistentes sociais convivem com o descaso.

Arroio dos Ratos

A vistoria se encerrou com a vistoria ao canteiro de obras da futura Penitenciária Estadual de Arroio dos Ratos. Diferentemente das impressões negativas deixadas pela modulada de Charqueadas, a nova casa prisional teve poucas objeções feitas pelos representantes do Crea/RS.

A questão da segurança da guarda foi novamente citada por Brzuska. O corredor é estreito, deixando a guarda em posição fragilizada numa situação de tensão junto à carceragem.

Da mesma forma ocorrida após a vistoria no Presídio Central, as entidades trabalham na elaboração de laudos técnicos sobre as casas prisionais visitadas. O documento será entregue às autoridades responsáveis pela segurança pública e disponibilizado à sociedade civil por meio da imprensa.


Institucional Câmaras Técnicas Comissões de Ética Conheça o CREMERS Contas Públicas Delegacias Diretoria Palavra do Presidente Vídeo Institucional História Cremers

Serviços Área do Médico Busca Empresas Busca Médicos Ativos CBHPM Concurso Emissão de Boleto Empregos Eventos Inscrição de Empresas Licitações Pareceres e Resoluções Perguntas Freqüentes Pessoa Jurídica Propaganda Médica Registro de Especialidade Médica

 

 

Imprensa Artigos Assessoria Informativo Cremers Notícias Twitter

Publicações Apresentações para Download Biblioteca Código PEP Regimento Interno dos Corpos Clínicos

 

Contato Fale com o CREMERS Fale com o Presidente Ouvidoria

 

 

 

Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio Grande do Sul - Copyright 2019 ©
Av. Princesa Isabel, 921 - Bairro Santana
Porto Alegre - RS - CEP: 90620-001
Telefone: (51) 3300-5400 e 3219-7544
Fax: (51) 3217-1968
E-mail: cremers@cremers.org.br
Horário de Atendimento:
De segunda-feira a sexta-feira
Das 08h40min às 18h00min